RISOTTO AI FUNGHI

Olá malta, como prometido,

deixo-vos ficar a minha receita super saborosa de um risotto de cogumelos. É uma receita muito simples e de fácil execução. Podem sempre adaptá-la, colocando outros ingredientes. Eu cá optei por colocar:

– Cogumelos;
– Vinho tinto;
– Alho em pó;
– Oregãos;
– Caril;

MODO DE CONFEÇÃO

Tenho o hábito de colocar os ingredientes todos a frio e na preparação do risotto, não podia ser diferente. Outra coisa que faço quase sempre, é colocar tudo a olho nú , nunca tenho uma medida nem quantidade certa. Coloquei numa panela média, não muito funda, o azeite, o alho em pó, os oregãos e dois copos de arroz integral. Passados mais ou menos 3 minutos, depois de já ter misturado tudo e ter deixado o arroz aquecer um pouco, coloco meio copo de vinho tinto e a água. Como queremos fazer um risotto, devemos colocar sempre mais água para que ao contrário do arroz seco, fique mais empapado. 

O arroz integral demora mais a cozer, por norma, demora cerca de uma hora o que também vai pedir mais um pouco de água. De seguida, coloco uma colher de chá de caril e coloco os cogumelos e já está. Passado mais ou menos uma hora está pronto a servir. Esta foi uma das receitas que adaptei ao meu novo estilo de vida. Se alguns de vocês estão como eu neste novo desafio, já têm aqui mais um receita para porém em prática. Espero que gostem e que partilhem comigo quando cozinharem esta receita.

Beijocas

 

 

IMG_9345IMG_4032.JPG

PARAÍSO AFRICANO

Olá “praieiros”,

Estou de volta e desta vez, par vos contar tudinho sobre as minhas férias na Tunísia.

Foi sem dúvida uma aventura daquelas, acho que nenhum de nós ia descansado. Foi a primeira vez que em toda a minha vida fui desconsolada, viajar sem aquela ansiedade de chegar ao destino. Para piorar, decidimos na noite anterior ao voo de ida, pesquisar pelo querido google tudo e mais alguma coisa sobre a Tunísia. Ou seja, começamos logo mal. Uma pessoa já estava cheia de medo e depois de ler aquelas “coisadas” fica tudo menos motivada. 

O que é certo é que as viagens estavam pagas e não havia nada a fazer. Ou ia-mos ou perdia-mos o dinheiro todo. Verdade seja dita, as meninas da agência foram incansáveis, super cuidadosas, prestáveis e principalmente, tiveram sempre o cuidado de referenciar o destino como sendo seguro.

Para nosso azar, o voo atrasou-se quase 3 horas (boaaaa, ainda mais alguma coisinha negativa à mistura) o que nos fez chegar ao aeroporto de Túnis-Cartago perto da 1h da madrugada. Tinha-mos pela frente cerca de 1:30H de viagem até ao hotel e como já era tarde (e de noite), a paisagem mal se via. Lá chegamos ao nosso hotel passada hora e meia de viagem. Fizemos o check in e “pumbas” para os quartos. Estávamos super cansados por isso, foi deitar e dormir como uns bebés. 

Eram 9:00 da manhã quando acordamos e fomos tomar o pequeno almoço. Ainda não estávamos 100% convencidos “lol” até que, chegamos ao lobby do hotel e nos deparamos com aquela vista incrível da parte exterior e da decoração do hotel. Bem malta, melhorou bastante o nosso humor, confesso, e depois de um bom pequeno almoço, ui ui já só faltava a cereja no topo do bolo. Pois, mas onde estava ela??? na praia meus amores na praia. Quando demos de caras com aquela praia e mar , “bemmmmmm” foi a alegria total.

IMG_9646IMG_0362IMG_0775

A partir daí, só vos tenho a dizer que foram das melhores férias que tive até hoje. Não me senti insegura uma única vez. O staff do hotel era super simpático, a comida ótima e a praia era vigiada diariamente por polícias. Tivemos ainda a sorte de conhecer um casal super simpático do norte, que se juntou a nós, a partir do terceiro dia. 

No nosso último dia por lá, no dia em que tinha-mos voo da parte da tarde, combinámos com o guia turístico do nosso hotel, fazer uma excursão para ficarmos a conhecer alguns lugares mais emblemáticos da Tunísia. Foi sem dúvida, uma manhã muito bem passada, fomos à medina de Tunes, onde podem fazer umas belas comprinhas com as coisas típicas deles, passámos pelas ruínas de Cartago e terminamos em Sidi Bou Said que é só a aldeia mais gira de sempre. 

Para finalizar, deixo-vos ficar algumas curiosidades à cerca das férias. Devem sempre regatear o que quer que seja que comprem por lá. Quer seja na praia quer na medina, pois é algo que faz parte da cultura deles.  A água é limpissima e tem uma cor espetacular. Já estive nas Caraíbas e a água não era tão boa visualmente. A partir das 5:30 da manhã já tem sol e as 7:30 já conseguem estar com o esqueleto ao sol. Falam árabe e francês e dominam bem o inglês na hotelaria e turismo. Fica também no final, o link do hotel, da agência e do operador. Qualquer dúvida ou curiosidade disponham.

Beijocas

FullSizeRender 26.jpgFullSizeRender 19FullSizeRender 22FullSizeRender 25IMG_0469IMG_0787FullSizeRender 18IMG_0286.JPGIMG_0323.JPGFullSizeRender 27

 

https://www.iberostar.com/pt/hoteis/sousse/iberostar-diar-el-andalous

http://www.bestravel.pt/agencias/detalhe/?id=142

http://www.soltropico.pt

 

ANO NOVO ATITUDE NOVA

Pois é, mais um ano que está a chegar ao fim e com ele tantas outras coisas. Tenho o hábito de estruturar objetivos sempre que um ano chega ao fim. Gosto de fazer uma retrospetiva daquilo que mais gostei, mas sobretudo daquilo que menos gostei e menos me acrescentou.

Vivemos numa sociedade individualista, carregada muitas vezes de interesses pessoais. Hoje mais do que nunca, temos que ter em conta que muitas das vezes não chega apenas afastarmo-nos de quem nada nos acrescenta pois, na prática, a nossa vida não funciona como no Facebook ou Instagram em que apagamos esses pseudo amigos. Todos nós ,certamente já tivemos na nossa vida pessoas negativas, críticas e portadoras de más energias.

A melhor forma de lidar com essas pessoas, é não lhes dar a mínima importância, evitando assim que esse tipo de pessoas contaminem a nossa boa disposição e a nossa atitude. Nem sempre conseguimos controlar quem entra na nossa vida, no entanto, conseguimos controlar o lugar que ocupam nela. Nem todas as pessoas nos trazem algo bom, algo positivo, mas, se conseguirmos manter essas pessoas longe, a nossa saúde mental vai agradecer.

É fundamental que comecemos a compreender a importância de ignorarmos certas situações, pois assim vamos evitar muitas “dores de cabeça” e vamos certamente ser bem mais felizes.

Ora, posto isto, eu recuso-me a aceitar o que quer que seja que não me acrescente, que não me faça bem!!! E por isso, este ano que está mesmo na reta final, vai levar com ele as cíticas negativas “dos outros”, as inseguranças e frustrações, as preocupações descabidas (o que os outros pensam de nós falam de nós…), o egoísmo e o interesse.

Gente, não estou aqui com falsos moralismos, eu de santa não tenho nada. É óbvio que também já errei, mas o mais importante é que decidi ser uma pessoa diferente. A verdade é que quando nos dizem ou até mesmo lemos aquelas frases do karma tipo “plante o bem, queira o bem e o resto vem” e as colocamos em prática, as coisas boas aparecem. Não adianta dizermos coisas bonitas para “inglês ver” as coisas boas veem de dentro e manifestam-se sempre nas nossas atitudes e comportamentos.

Ao trabalharmos diariamente as emoções tóxicas, estamos de certa forma a curar a nossa vida, pois tiramos um peso das costas. O melhor que temos a fazer é de facto esquecermos aquela raiva, trabalhar aquela tristeza e tornar os acontecimentos menos bons insignificantes ou até mesmo atribuir-lhes outro significado. Esta alteração comportamental vai dar-nos outra perspetiva do nosso sentimento de impotência, das nossas carências, frustrações e crises existenciais. Assim, trabalhemos cada mágoa, cada ressentimento e liberamo-nos das correntes que nos impedem de levarmos uma vida com mais qualidade.

Para este 2017 quero evoluir, quero paz interior, quero fazer para ser e para ter. Quero ainda por em prática todos os objetivos de trabalho que tenho estipulados. Dreamers, entrem neste novo ano com o pé direito. Levem também tudo de bom de 2016 e multipliquem-no em 2017. Apostem em vocês e sobretudo acreditem que são capazes. As pessoas com bem-estar elevado tendem a ter melhores relações sociais. Lembrem-se, as relações sociais positivas são necessárias para o nosso bem-estar, mas, a chave da felicidade está em nós. Ninguém melhor do que nós para sabermos o que queremos e o que não queremos.

 

img_4310

Beijocas